quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Coppam comunica à Mitra Diocesana obra irregular em capela

Obra irregular na " Igreja de Santa Ana" deverá ser removida

Qualquer tipo de obra, até mesmo uma simples pintura em igrejas e capelas do município deverá passar, necessariamente, pela Mitra Diocesana de Campos, que tem um departamento para analisar os projetos. A informação é do presidente do Conselho de Preservação do Patrimônio Municipal (Coppam), Orávio de Campos Soares. 
 
A informação ocorreu após o presidente do Conselho ter sido recebido nesta quarta-feira (14), pelo Bispo D. Roberto Francisco Ferreria Paez, ocasião em que, oficialmente, foi comunicada à Mitra a necessidade de demolição da intervenção ilegal que estava sendo feita na capela de Santa Ana, em Saturnino Braga, templo com mais de 110 anos de fundação. 
 
Entendimento – Orávio lembrou o excelente relacionamento com o Bispado de Campos. “Desde o episódio da demolição da capela de Santo Amaro de Donana, para dar lugar a uma igreja nova e mais ampla, o senhor Bispo assumiu conosco o compromisso de ajudar na preservação desses importantes patrimônios religiosos”, afirma.  
 
No atual capítulo em que a comunidade católica de Saturnino Braga, por desconhecimento das leis, empreendia, sem nenhuma autorização da Secretaria de Obras, Urbanismo e Infraestrutura, a construção de um campanário anexo à capela, D. Roberto concordou com a medida proposta pelo Coppam e vai determinar a demolição do anexo irregular. 
 
- Já determinamos que qualquer tipo de obra em capelas e igrejas deve passar pela Mitra, onde mantemos um setor para analisar os projetos – salientou o Bispo, reforçando a necessidade de proteger, dessa forma, o belo (e simples) exemplar arquitetônico de templo católico oriundo dos tempos áureos do ciclo do açúcar na Baixada Campista. 
 
O tombamento das capelas e igrejas teve origem no inventário da extinta Secretaria de Cultura, aproveitando pesquisa sobre sociolinguística realizada pelo NIPEC/UNIFLU. “Estamos preservando os templos católicos para evitar que aconteça o que detectamos na Capela de Santa Ana, em Saturnino Braga”, finalizou o presidente do COPPAM.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Concurso Cultural


Olhares sobre o patrimônio fluminense 2013 – fotografia e poesia
 
Compartilhe sua criatividade e paixão pelo Rio de Janeiro inscrevendo fotos ou poesias até 05 de agosto sobre o patrimônio cultural do Estado.
As obras serão selecionadas por comissões julgadoras específicas conforme a modalidade (de fotografia e de poesia) e também receberão voto popular pela Internet. Não deixe de participar!
O concurso inclui as categorias infanto-juvenil (de 11 a 17 anos) e adulto (a partir de 18 anos), e em 2013 dedica-se aos seguintes temas: O patrimônio da Região Serrana do Rio de Janeiro, Fragmentos de Memória e Memória Preservada.
Confira abaixo o edital.
Os autores das obras vencedoras farão parte da exposição virtual no sítio da III Semana Fluminense do Patrimônio 2013 (www.patrimoniofluminense.rj.gov.br). 
 
Fique sabendo!
 
Será aceita apenas 1 (uma) inscrição de cada participante em cada um dos temas (Fragmentos de Memória, Memória Preservada e O Patrimônio da Região Serrana do Rio de Janeiro) de cada uma das modalidades (fotografia e poesia). Mais de uma inscrição implicará na desclassificação automática do candidato no concurso.
05 ago.| Término das inscrições
13 ago.| Início da exposição virtual
13-23 ago.| Período para voto popular pelo site
 25 ago.| Resultados e Premiações  

quarta-feira, 27 de março de 2013

Prêmio Alberto Lamego com Quarteto de Corda e Lene Moraes


 
O Prêmio de Cultura Alberto Ribeiro Lamego, concedido pelo Conselho Municipal de Cultura, a personalidades que se destacaram nos anos de 2011 e 2012, será entregue nesta quarta-feira (27), em solenidade no Museu Histórico de Campos, a partir das 18h30, com uma série de atrações culturais e artísticas.

O importante prêmio de cultura do município, criado em 1978, pela então diretora de Cultura, Diva dos Santos Abreu Barbosa, referente a 2011, coube à maestrina Vilma Rangel Braga e ao diretor Félix da Silva Carneiro (in-memoriam); e referente a 2012 ao compositor Geraldo Gamboa e à professora Rita Maria de Abreu Maia (in-memoriam).

As atrações – Além dos discursos aos agraciados, o Museu Histórico, que está propondo uma ampla discussão sobre a verdadeira data de nascimento do município, vai brindar os convidados com uma apresentação do “Quarteto de Cordas”, do Centro Cultura Musical de Campos, que vai homenagear à maestrina Vilma Rangel Braga.

Também estará presente a cantora Lene Moraes e banda, a quem caberá homenagear o compositor Geraldo Gamboa, atual Cidadão do Samba e uma das personalidades mais importantes da cultura popular. Lene incluiu Geraldo no seu CD - “Bambas da Planície”, junto com Manoel Tancredo e Jorge da Paz Almeida.

O presidente do Conselho Municipal de Cultura, professor Orávio de Campos, está convidando a comunidade, de um modo geral, a participar deste momento cultural, através do qual se valoriza os produtores culturais do município. “Será uma noite inesquecível, de música passando do erudito ao popular”, concluiu.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Membros do Conselho Municipal de Cultura tomam posse

 
 Presidente do Conselho no momento da Solenidade
 
Em solenidade no Teatro Municipal Trianon, tomaram posse no Conselho Municipal de Cultura, 40 membros titulares e suplentes que, de forma paritária, representam órgãos governamentais e sociedade civil organizada na vertente cultural no município. O evento solene aconteceu nesta quarta-feira (12), mas os representantes já tomaram posse de forma administrativa, segundo o secretário de Cultura Orávio de Campos Soares. Os membros do conselho foram eleitos através da assembléia geral durante a II Conferência Municipal de Cultura, realizada no mês de setembro.

O mandato de cada membro será válido pelo período de dois anos, havendo uma nova eleição na próxima conferência, a ser realizada em setembro de 2014. Orávio explica que a solenidade consolida a ideia de que o desenvolvimento cultural não é somente do governo, mas, sobretudo, das representatividades civis. “Temos quantidades iguais de representatividades do governo e sociedade civil. Divididos de forma paritária, para que as decisões tomadas pelo conselho tenham similar representação”, declara.

Com a formação do Conselho Municipal de Cultura, a cidade de Campos cumpre um dos quesitos que fazem parte do Sistema Nacional de Cultura, além do Conselho de Preservação do Patrimônio Municipal; Fundo Municipal de Cultura (Funcultura) e de dispor de um Plano de Cultura, já definido no regimento do próprio Fundo. Através do Fundo Municipal, os recursos do Fundo Nacional da Cultura poderão ser diretamente depositados e direcionados ao investimento de ações culturais no município.

- Através dos recursos do Fundo, é possível atuar na criação de uma Escola Técnica de Arte Dramática, através do Pronatec, em parceria com o Instituto Federal Fluminense (IFF). Além do Fundo também fazer parte da construção da Praça do PEC (Praça de Esporte e Cultura), no Parque Eldorado II, numa área de 7 mil metros quadrados - explica Orávio, informando ainda que o Fundo de Cultura já possui registro no Ministério da Fazenda, obtendo seu CNPJ e conta na Caixa Econômica Federal, o que viabiliza o investimento da cultura no município.

Segundo um dos representantes da sociedade civil organizada, diretor do Centro Cultural Musical de Campos e presidente do Orquestrando Vidas, Jony William Vilela Viana, a responsabilidade em representar a classe é muito grande. “É uma honra e grande responsabilidade levar os anseios da classe, procurando mostrar suas necessidades e também incentivar todo um processo de projetos numa cidade que vem crescendo consideravelmente em suas manifestações culturais”, destaca.

Uma das representantes do governo, a presidente da Fundação Cultural jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), Patrícia Cordeiro, informa que esta é uma diretriz de governo. “Democratizar a Cultura é uma forma das ações se desenvolverem com clareza e de forma participativa”, finaliza a presidente.
 
Confira abaixo a listagem completa de titulares e suplentes do Conselho Municipal de Cultura.
Entidades Governamentais
Secretaria Municipal de Cultura
Titilar: Orávio de Campos Soares/ Suplente: Sérgio Alvarenga  
 
Fundação Teatro Municipal Trianon
Titular: Ademilde Maria Pacheco de Freitas/ Suplente: Paulo Jorge Cabral de Melo  
 
Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima
Titular: Patrícia Cordeiro Alves / Suplente: Fabiana da Silva Pinto
Titular: Maria Helena Gomes da Silva/ Suplente: Neusimar da Hora
Titular: Maurício de Moura Caldas Xexéu/ Ondina Lima de Oliveira
Titular: Carlos Roberto Bastos Freitas/ Suplente: Graziela Escocard Ribeiro  
 
Fundação Municipal Zumbi dos Palmares
Titular: Luciano Gonçalves Moreira/ Suplente: Leandro Lima Cordeiro  
 
Secretaria Municipal de Educação
Titular: Jane Beatriz Rangel de Andrade/ Suplente: Orlando de Souza Araújo Junior  
 
Secretaria Municipal de Obras e Urbanismo
Titular: César Romero Ferreira Braga/ Suplente: Francisco Eduardo Leal  
 
Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes
Titular: Maria da Penha Oliveira Martins/ Suplente: Kellenson Ayres Figueiredo de Souza
 
Representantes da Sociedade Civil
Centro Cultura Musical de Campos
Titular: Jony William Villela Viana/ Suplente: Walmir da Conceição  
 
Artes Cênicas (teatro, dança, circo...) – Grupo Nós do Teatro (IFF)
Titular: Kátia Macabu de Souza Soares/ Suplente: Fernando Crespo Rossi (SESI)  
 
Associação Norte Fluminense de Artes Visuais
Titular: Silvio Gregório Gomes Viana/ Suplente: Yohanna Rocha Nogueira (Campus II- Uniflu- Filosofia)
  
Artes Audiovisuais – Associação de Imprensa Campista
Titular: Alexandro Chagas Florentino/ Suplente: Wesley Machado  
 
Literatura (editores, bibliotecas, associações artísticas e literárias) – Academia Campista de Letras
Titular: Arlete Parrilha Sendra/ Suplente: Joel Ferreira Melo  
 
Letras e Artes – Academia Pedralva de Letras e Artes
Titular: Suely Maria Vasconcelos de Azevedo Petrucci/ Suplente: Vilmar Ferreira Rangel  
 
Patrimônio Cultural (museu, arquitetura, arqueologia...) – IFF
Titular: Márcia Rodrigues Rangel/ Suplente: Ricardo Gonçalves de Carvalho (SHRB Costa Doce)  
 
Cultura Popular(carnaval, grupos étnicos, artesanato, folclore...) Núcleo de Arte e Cultura de Campos
Titular: Jovana Patrícia da Hora Barcelos/ Suplente: Ariel Vizela Chacar (Associação das Escolas de Samba – AESC)
 
Espaço de Cultura (animação, educação, saúde...) – Centro de Estudos em Animação Cultural Darcy Ribeiro
 
Titular: Wilson Renato Hendeifelder de Carvalho Júnior/ Suplente: João Guilherme de Freitas Pessanha
 
Entidades de Pesquisas Culturais Campus II – UNIFLU- FILOSOFIA
Titular: Dione Baptista do Amaral Sardinha/ Suplente: Geraldo Guimarães de Almeida
Secom

domingo, 11 de novembro de 2012

Conselho de Cultura se reúne e vê a criação de Curso Técnico de Teatro

A primeira reunião do Conselho Municipal de Cultura, cujos membros foram eleitos na II Conferência de Cultura, realizada em setembro deste ano, ocorrida neste sábado, foi das mais produtivas e determinou, entre outras medidas, estudos para a criação de um Curso Técnico de Teatro, no IFF e através do Pronatec.
 
Os novos conselheiros vão participar, ativamente, da 7ª Bienal do Livro, a ser realizada, entre os dias 23 de novembro e 02 de dezembro, no espaço do CEPOP – Centro de Eventos Populares Osório Peixoto -, a partir de uma programação das mais sofisticadas a ser anunciada na segunda feira, às 10 horas, no Palácio da Cultura.
 
ELEIÇÃO DO COMITÊ – A eleição dos membros do Comitê Gestor do Fundo Municipal de Cultura – FUNCULTURA – e de sua diretoria executiva, que estava na pauta, foi adiada para o próximo dia 24, para que os conselheiros tomem ciência dos detalhes das leis que criaram o próprio Conselho, o Fundo de Cultura e sua regulamentação.
 
Membros do CONCULTURA pensando cultura

Para o presidente do Conselho, professor Orávio de Campos, esta primeira reunião, com os conselheiros nomeados pela Prefeita Rosinha Garotinho, foi das mais positivas " e vários cenários começaram a ser desenhados visando a elaboração do Sistema de Cultura e as possibilidades de captação de recursos para o Funcultura."
 
Um Grupo de Trabalho, composto pelo presidente Orávio de Campos e pelos conselheiros: Kátia Macabu, Maria Helena Gomes, Luciano de Paula, e Neusimar da Hora, vai se reunir, no dia 22, às 15 horas, no IFF, para iniciar os estudos sobre a escola de escola, tida como fundamental para o futuro do teatro do Município.
 
-Acreditamos, piamente, que este novo conselho, de natureza paritária, historicamente, vai desempenhar um papel fundamental no sistema cultural de Campos, ocupando inclusive os espaços e equipamentos necessários para consolidar a cultura como estratégia política do governo – finalizou o presidente.

 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Guarani festeja passagem dos 119 anos de fundação

Momento da solenidade pela passagem dos 119 anos
Fundada em 1893, A Sociedade Musical Lyra Guarani festejou, no último dia 22 deste mês de outubro, a passagem de seus 119 anos de existência, reunindo a diretoria, antigos e atuais músicos da corporação, além de autoridades, dentre outros o vice-presidente da Fundação Zumbi dos Palmares, Sérgio Alvarenga, representando o Secretário de Cultura, professor Orávio de Campos.
 
 Na abertura do evento, aconteceu uma saudação à Santa Cecília, padroeira da Lyra Guarani. Após a entrada da Bandeira Nacional, a banda executou o Hino Nacional. A significativa história da instituição foi lida e ocorreram os seguintes atos: 1 - Homenagem a Alcides da Silva Gomes, o Deco, músico mais antigo(o mais novo é Rafael Delgado, de apenas 16 anos); 2 - Diplomação da diretoria e associados; 3 - Apresentação de dança clássica com a professora Diná.
 
No concerto, a sociedade musical interpretou várias músicas com arranjo para banda, como “Tema de Chaplin”, “Emoções”, “Primavera” e algumas melodias de Tim Maia. A festa chegou ao seu final com um baile. O presidente Ézio Ribeiro Amaral, muito feliz com a efeméride, se esmerou no atendimento aos convidados.
 
Campos se orgulho de possuir cinco bandas centenárias: Guarani, Operários Campistas, Conspiradora, Euterpe Sebastianense e Lira de Apolo, sendo esta, fundada em 1870, a mais antiga em atividade do Brasil.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Relíquias dos Goytacazes vão retornar à terra dos ancestrais

Material arqueológico do “Sitio do Caju” vai enriquecer acervo do Museu Histórico

Urnas mortuárias de índios Goytacazes, provenientes da civilização Una estabelecida nos anos 200 d.C. resgatadas no Sitio do Caju pelo Instituto de Arqueologia Brasileira, deverão enriquecer o Museu Histórico de Campos, recentemente inaugurado após a restauração do Solar Visconde de Araruama, uma das mais importantes obras  culturais do governo Rosinha Garotinho.
A informação é do secretário municipal de Cultura, professor Orávio de Campos Soares, ao anunciar a visita ao município, nos dias 14 e 15 próximos, dos professores e arqueólogos do IAB, Ondemar Dias e Jandira Neto, que guardam o precioso acervo da cidade desde 1989, quando deram por encerradas as escavações realizadas, recolhendo, além de urnas, adornos, enfeites, armas e outras peças.
Ondemar e Jandira Neto Arqueológos do IAB
MAPEAMENTO ARQUEOLÓGICO – Para o professor Orávio, que chegou ao Instituto de Arqueologia Brasileira através da contribuição do museólogo Carlos Freitas, diretor do Museu e do Arquivo Público; e da historiadora Sylvia Paes, a retomada de entendimento com o os professores Ondemar e Jandira é fundamental para que possamos trazer as relíquias do goytacazes para a terra-mãe. 
Material retirado do Sítio do Caju
- Podemos fazer outras parcerias, não só com o Instituto, mas, também, com a UENF, uma vez que precisamos criar em Campos uma consciência arqueológica, sem a qual será impossível manter o material do Sitio do Caju exposto de forma pedagógica – salientou o professor, mostrando-se eufórico com os novos entendimentos capazes de caminhar para um mapeamento de nossas potencialidades arqueológicas.
Para consubstanciar o projeto, o secretário já conversou com a secretaria Municipal de Educação, Joilza Rangel, buscando uma importante parceria. Ele pensa que dentro do “plano da arqueologização do município, não pode faltar a educação, pelo seu aspecto pedagógico, bem como outros setores do governo, como o meio ambiente, o turismo e entidades da sociedade civil organizada”.
Orávio explicou que as escavações de salvamento arqueológico em Campos duraram de 1965 a 1989, através do IAB e com autorização do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Para “que tenhamos o retorno das urnas e de outros objetos, vamos trabalhar um projeto bastante consistente e, naturalmente, com a aprovação do órgão do Ministério da Cultura”.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

II Conferência Municipal de Cultura inscreve gestores, entidades e artistas

Todos os gestores culturais, entidades, artistas de todos os gêneros poderão, ainda, se inscrever e participar da II Conferência Municipal de Cultura, cujo objetivo principal é o de discutir as questões culturais do município, contribuindo para a elaboração do Plano Municipal de Cultura e para o exercício da cultura como estratégia política do governo.

Quem quiser se inscrever poderá fazê-lo em diferentes pontos: Fundação Teatro Trianon, Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Fundação Municipal Zumbi dos Palmares, na Faculdade de Filosofia e na Secretaria de Cultura. “Para participar a pessoa, necessariamente, não precisa ser ligada a instituições”, informou o secretário Orávio de Campos.

PROGRAMA – O evento será iniciado nesta quinta-feira, dia 13 de setembro/2012, na Teatro Trianon, onde haverá a abertura oficial. A palestra será do professor Dr. Aristides Arthur Soffiati Netto e logo após os conferencistas poderão apreciar um concerto especial da Orquestra Sinfônica Municipal, sob a regência do maestro Luis Mauricio Carneiro.

Na sexta-feira, dia 14, na Filosofia, na parte da manhã haverá duas palestras. A primeira, às 9 horas da manhã, com o professor Flávio Aniceto, do MinC, cuja abordagem será “Os sistemas Nacional, Estadual e Municipal de Cultura”; e a segunda será proferida pelo professor Delmar Cavalcanti, da SEEC-RJ, que dissertará sobre o tema “Políticas culturais para os municípios”. À tarde vão se reunir nove câmara temáticas para apresentar suas reivindicações.

No sábado, dia 15, também na Filosofia, haverá a leitura final da conferência, com debate e aprovação das estratégias e o encerramento vai ocorrer por volta das 12 horas com a eleição dos novos membros do Conselho Municipal de Cultura, através da escolha a ser feita pelo colegiado, representado pelos delegados inscritos pelas entidades culturais.

Estão sendo chamados atores culturais que atuam em Música (Popular e Erudita), Artes Cênicas (Teatro, Dança e Circo), Artes Visuais (Gráficas, Fotografias, Pintura, Escultura, Designer), Artes audiovisuais (Cinema, TV, Rádio, Vídeos), Literatura (Edições, Bibliotecas, Associações Artísticas e Literárias), além de outras associações de classes.

E mais: Patrimônio Cultural (Museus, Arquitetura, Arqueologia), Cultura Popular (Carnaval, Grupos Étnicos, Artesanato, Folclore), Espaços Alternativos da Cultura (Animação Cultural, Educação, Saúde, Meio Ambiente ...) e Entidades de Pesquisas Culturais (universidades e centros de ensino superior voltados para o campo de pesquisa).

sábado, 8 de setembro de 2012

II Conferência de Cultura faz reunião e estabelece diretrizes

Orávio de Campos presidindo a pré-conferência
 
Todas as diretrizes da II Conferência Municipal de Cultura, a ser realizada nos próximos dias 13, 14 e 15 deste mês (tendo como objetivo principal discutir a elaboração do plano geral para o setor) foram debatidas nesta manhã, em reunião, presidida pelo secretário professor Orávio de Campos, na Secretaria de Cultura.
 
 O encontro das lideranças culturais, incluindo os moderadores e expositores do conclave, serviu como pré-conferência, ocasião em que o evento passou a ser assumido, por exigência do Sistema Nacional de Cultura, “como uma forma de organização dos debates que serão promovidos pelos agentes e produtores culturais do município".
 
CÂMARAS TEMÁTICAS – A conferência, que tem como temas Identidade, Sociedade e Pertencimento, terá como subtema a discussão sobre os sistemas nacional, estadual e municipal de cultura. “Para tanto convidamos os professores Flávio Aniceto e Delmar Cavalcanti, representantes do Minc e Secretaria de Cultura do Estado”.
 
Para o professor Orávio, as câmaras, nas quais os interessados deverão se inscrever, são as seguintes: Artes Cênicas (Teatro, Dança e Circo); Artes Visuais, Artes Audiovisuais, Música (Erudita e Popular), Literatura, Patrimônio Cultural, Cultura Popular, Espaços Alternativos de Cultura e Entidades de Pesquisas Culturais. “Cada câmara, reunida em espaço separado, vai pontuar as principais reivindicações do setor”.
 
 Estas discussões serão concentradas na grande plenária destinada a registrar os sinais para o Plano Municipal de Cultura, que será, assim, elaborado entro do princípio da democracia. Após o debate final, serão eleitos, através dos delegados inscritos pelas entidades culturais, o novo Conselho Municipal de Cultura – CONCULTURA.
 
 A conferência será instalada no Teatro Trianon, no dia 13, onde haverá palestra do professor Dr. Aristides Arthur Soffiati Netto, sobre o tema “O Papel da Cultura na Sociedade”, seguindo-se recital da Orquestra Sinfônica Municipal de Campos, sob a regência do maestro Luiz Maurício Carneiro. Nos dias 14 e 15 de setembro, as sessões serão realizadas no Campus II do UNIFLU- FAFIC.

domingo, 2 de setembro de 2012

Inscrições abertas para a II Conferência de Cultura

Entidades culturais e educacionais, grupos de produção e demais artistas, filiados ou não, além da sociedade de um modo geral, já podem se inscrever na II Conferência Municipal de Cultura, a ser realizada nos dias 13, 14 e 15 de setembro/2012, com o objetivo da construção de uma política democrática que vai embasar o Plano Municipal de Cultura.

A Informação é do professor Orávio de Campos Soares, para quem “durante três dias vamos arrolar todas as necessidades a serem apontadas pelos nove Grupos de Trabalho, destancando as áreas de Música, Artes Cênicas, Artes Visuais, Artes Audiovisuais, Literatura, Patrimônio Cultural, Cultura Popular, Espaços Alternativos e Entidades de Pesquisas  Culturais”.

NOVAS POLÍTICAS – O secretário de Cultura, coordenador geral da II Conferência, justifica agora a realização da II Conferência, já que a primeiro ocorreu em 2006. “É que para aderir ao Sistema Nacional de Cultura tivemos de tomar providências que demandaram muito tempo e não tínhamos, ainda, as diretrizes somente liberadas no início deste ano”.
 
O tema central da conferência será Sociedade, Identidade, Pertencimento. Isso porque, na elaboração do Plano Municipal de Cultura devemos deixar clara a ideia da valorização de tudo que seja nosso, oriundo das relações culturais luso-africanas e um pouco da saga goytacaz. Para Orávio, “o nosso plano vai contemplar todas as correntes estéticas da cultura”. 

- Por exemplo, precisamos incluir a universidade, enfatizando sua capacidade de produzir de saber e conhecimento, cujos resultados precisam ser devidamente aproveitados para o desenvolvimento sustentável da cidade, acrescentou. “O Conselho, a ser eleito na conferência, não deve perder a oportunidade de incluir o pensamento acadêmico”.

Na programação: Dia 13 de setembro, a partir da 18 horas, no Teatro Trianon, credenciamento dos participantes, seguindo-se às 19 horas, com palestra do Dr. Aristides Arthur Soffiati Netto, sobre o tema “O Papel da Cultura no Desenvolvimento da Sociedade”. A noite será encerrada com um concerto da Orquestra Sinfõnica Municipal e Coro, com a regência do maestro Luiz Maurício Carneiro;

Os debates dos grupos de trabalho, nos dias 14 e 15, serão realizados a partir das 9 horas da manhã, no Campos II – Uniflu-Filosofia. Na abertura, dia 14, haverá palestra dos professores Flávio Aniceto, do Ministério da Cultura; e Delmar Cavalcanti, da Secretaria de Estado da Cultura, seguindo-se debate entre os participantes. Dia 15, haverá a edição da Carta e a eleição do novo Conselho Municipal de Cultura.

sábado, 1 de setembro de 2012

Equipe técnica analisa obras de revitalização do centro histórico


Equipe técnica reunida na Secretaria Municipal  de Cultura
 A próxima reunião da equipe técnica que cuida da Revitalização do Centro Histórico será na próxima terça-feira, às 15 horas, na PCE Engenharia, situada à Rua Atilano Chrisóstomo, 73, Parque Tamandaré, ocasião em que os assuntos pendentes serão discutidos pelo grupo gestor, tendo à frente o coordenador de infraestrutura da municipalidade, arquiteto César Romero Braga.

O grupo, que integra técnicos da Ampla, Imbeg, Cvarcon, LQ Gictel/Oi, Montacon Engenharia, Embratel, Campos-Luz e o COPPAM – Conselho de Preservação do Patrimônio Municipal, na última terça-feira esteve reunido na Secretaria de Cultura, onde se discutiu detalhes das novas instalações elétricas e midiáticas subterrâenas no trecho do Chá-chá-chá.

 MARQUISES – O secretário de Cultura, professor Orávio de Campos, também presidente do COPPAM, que integrou na ocasião o grupo gestor das obras, participou, com o arquiteto Cláudio Valadares, das discussões sobre a a necessidade técnica da retirada de todas as marquises estranhas à arquitetura do centro histórico, de modo a dar maior visibilidade à paisagem urbana.

- A retirada das marquises seria o ideal, porque permitiria que o sol entrasse mais sobre as ruas, dando-lhes mais luminosidade. Mas teremos problemas com os sistemas de ar refrigerados que, na maioria das vezes, ficam sobre elas – lembrou o secretário, para quem representantes da ACIC, Cajorpa e Câmara dos Dirigentes Lojistas devem participar do próximo encontro.

Em princípio, as empresas concessionárias de serviços de eletricidade, telefonia e TV a Cabo, diante das dificuldades, estão tentando resolver problemas para, a partir do cabeamento, realizar as instalações nas lojas e edifícios do centro. A equipe, na ocasião, deletou a idéia de colocar tubulações auxiliares na parte externa dos imóveis.

Outra questão ventilada pelo arquiteto Cláudio Valadares é do estabelecimento, a partir da edição de uma lei, dos novos modelos dos letreiros das lojas comerciais, porque a revitalização compreende, também, a despoluição do centro histórico, tal como aconteceu com o complexo arquitetônico onde fica o Solar Visconde de Araruama, sede do nosso Museu Histórico.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Reunião acalorada aprova regulamento e sorteia ordem dos desfiles do Campos Folia

Representantes de Blocos e Escolas de Samba,
definiram os últimos detalhes para o Campos Folia 2012
Durante reunião das mais acaloradas, as sociedades carnavalescas listadas para desfilar no Campos Folia/2012, no Centro de Eventos Populares Osorio Peixoto – CEPOP -, inaugurando uma nova era para o carnaval campista, aprovaram e assinaram o regulamento do evento e procederam aos sorteios para a ordem dos desfiles nos dias 27, 28 e 29 de Abril.

No próprio regulamento estão inseridas normas que chamam atenção de todos para a prestação de contas, dentro do prazo de validade do convênio que todos estão assinando com a Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, bem como as novas responsabilidades que todos deverão ter com relação ao uso das verbas públicas com seus desfiles.

DISPUTA ACIRRADA – O secretário de Cultura, professor Orávio de Campos, que presidiu a reunião, salientou que os dirigentes estão conscientes de que devem realizar o melhor desfile na inauguração do CEPOP em termos do nosso carnaval. “Com isso estamos prevendo uma disputada muito acirrada entre as escolas e, também, dos blocos de samba”.

Dentre às novidades, as escolas e blocos, que obtiverem os primeiros e segundo lugares, além de receberem os troféus, ainda terão direito a uma ajuda de custo para desfilar no dia 05 de Maio, a partir das 20 horas, no que se denominou de Desfile das Campeãs, reunindo, ainda, escolas e blocos convidados para esta grande festa carnavalesca.

ORDEM DOS DESFILES

Dia 27 – Sexta feita – Blocos de Samba
                  
1 - Juventude da Baleeira
2 - Castelo do Parque Aurora
3 - Psicodélicos;
4 - Chuva de Ouro;
5 - União Feliz;
6 - Caprichosos de Guarus;
7 - Unidos do Capão – BRUC.

Dia 28 – Sábado – Escolas de Samba

1 - Madureira do Turfe;
2 - Cidade Luz;
3 - Onça no Samba;
4 - Mocidade Louca;
5 - Boi Sapatão;
6 - Ururau da Lapa.

Dia 29 – Domingo – Escolas de Samba

1 - Alvi-Anil;
2 - Império da Baixada;
3 - Amigos da Farra;
4 - União da Esperança;
5 - Ás de Ouro.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Sinopse do Carnaval de Campos

Já houve época em Campos,
que cavalos participavam dos festejos carnavalescos
  


CLUBE TENENTES DE PLUTÃO

O Campos-Folia/2012 faz homenagem aos grandes clubes carnavalescos, em especial ao Clube Tenentes de Plutão, fundado em 13 de Janeiro de 1884, que, nos tempos das chamadas grandes sociedades carnavalescas, revolucionou a estética do carnaval campista, fazendo circular pelas ruas centrais carros alegóricos aproveitando as cambonas de cana usadas para transportar matéria-prima para as moendas das usinas.

Cronistas, como o jornalista Hervé Salgado Rodrigues, no seu livro “Na Taba dos Goytacazes”, salientam o carnaval campista teve inicio em 1834, segundo o Monitor Campista daquele ano, fazendo menção às festas de carnaval nos casarões dos barões do açúcar, com as elites dançando bazurkas, polcas, maxixes e marchinhas, enquanto os tambores de jongo rufavam nos quintais das fazendas e junto das senzalas.

O site do Instituto Historiar cita que “no ano de 1884, foi realizado o maior carnaval de Campos com a presença dos clubes "Indiana”, “Macarroni”, “Plutão”, “Neptuno”, “Índio Negro”, “Cacetes”, “Caras Duras”, “Tenentes do Diabo” e o “Progressista”. De todos os clubes carnavalescos campistas o mais antigo do carnaval campista é o “Club Macarroni” - fundado em 1870 e que atravessou inúmeras gerações de foliões até os anos 50.

RIVALIDADE

A rivalidade entre os Clubes Macarroni e Tenentes de Plutão chegou a entrar para a história do carnaval campista. Bem como o fato de que, em 1891, o Plutão teve um carro apreendido pelo delegado de polícia porque continha ofensas grosseiras ao então governador do Estado Francisco Portela, “o homem da luz elétrica em Campos”. Já no novo século, em 1910, um grupo de garotos fundou o clube “Os Avançadores”, que logo foi precedido pelo clube “Os Intransigentes”.

Foi no início do século XX que surgiram os primeiros cordões (de índios), os blocos e os ranchos, além de outros grandes clubes. O primeiro cordão que marcou presença no carnaval campista foi o “Estrela de Ouro”, fundado em 1917. Logo depois surgiria a “Lira Brasileira”, que viria a ser o seu ferrenho rival. Ainda na mesma época surgiram outros cordões como os “Filhos do Sol”, o “Neto do Vulcano”, “Pena de Ouro”, o “Guerreiro Brasileiro”, “Triunfo das Cores”, do Moacir Ferreira e de Fidélis Gomes, “Filhos da Sereia”, de Benedito Apaga a Luz, e etc.

Depois disso, Campos viveu a época dos ranchos e dos blocos. Para as mulheres que desejavam curtir o carnaval só lhes restava os ranchos, pois nos blocos elas não entravam. Entre os blocos mais famosos que existiram em Campos destaca-se o “Corbeille”, o “Recreio das Flores”, o “Prazer das Morenas”, o “Felisminda Minha Nega”, o “Flor de Abacate” e “As Magnólias”, cujo ritmo iria enxotar de uma vez o compasso binário dos blocos e ranchos. E por último o mais famoso de todos os blocos campistas, o “Pega Veado”.

Para Hervê Salgado Rodrigues, autor do livro “Campos – Na Taba dos Goytacazes”, a fase áurea do carnaval campista ocorreu entre os anos de 1920 e 1950. “Com tudo isso ainda surgiram outros blocos esportivos como o “Mana na Burra”, do Goytacaz”; o “Mosqueteiros da Baixada”, do Americano; o “Pé no Fundo”, do Rio Branco e o “Pendura a Saia”, de estudantes campistas.

Não se sabe em que ano, mas a verdade é que o livro “Campos – Na Taba dos Goytacazes” de Hervê Salgado Rodrigues informa que nas tardes de carnaval, os mascarados começavam o desfile por volta das 14 horas. Eram figuras humorísticas, belos dominós com guizos e arminho nos punhos e nas golas ursos e bois pintadinhos. Depois quase à tardinha, vinham os corsos. A população então vinha pra o centro para assistir ao desfile e participar dos desfiles e das guerras com os populares limões de cheiro.

A hegemonia das escolas e blocos de samba tem início em 1952, com a transformação das batucadas em escolas. Exemplos: Companheiros Unidos de Guarus, Sorriso do Norte, Cruzeiro do Sul, Unidos da Coroa, Independentes de Guarus, Madureira do Turfe, Mocidade Louca, União da Esperança...

Vale ressaltar que na história do carnaval campista houve diversos clubes carnavalescos.

Veja os clubes e seus anos de fundação:

Sociedade Congresso Carnavalesco (1869),
Clube Zenith Carnavalesco (1869),
Sociedade Incógnita X (1869),
Sociedade Az de Copas (1870), Clube Macarroni (1870),
Sociedade Commercial e Artística (1870),
Club Carnavalesco Bamboche (1871),
Club Estréa Campista (1872),
Club Indiano Goytacaz (6/agosto/1876),
Club Conspiradores Progressistas (1877),
Club Netuno (março/1877), Os Democráticos (1882),
Club da Concha (1882), Caboclos Negros (1882),
Clube Tenentes de Plutão (13/janeiro/1884), Índio Negro (1884),
Cacetes (1884), Caras Duras (1884), Tenentes do Diabo (1884),
Progressistas (1884),
Os Avançadores (1910) e
Os Intransigentes (1910).
HOMENAGEM A RUBENS PEREIRA

Este ano o Governo Rosinha Garotinho faz homenagem ao pranteado compositor Rubens Pereira, uma das figuras mais tradicionais do Grêmio Recreativo Escola de Samba União da Esperança, escola que, juntamente com a Mocidade Louca, por serem as mais antigas, recebeu o registro de patrimônio cultural do município.

Nascido em 24 de Novembro de 1922, Rubens, desde cedo, se preocupou com a situação da negritude e, como Jorge da Paz de Almeida, lutou contra as diferenças éticas ao mesmo tempo em que procurava valorizar a arte oriunda dos tambores das antigas batucadas existentes nas periferias da cidade, reunindo seus primeiros bambas.

A arte de raiz era a tônica de uma época de construção de uma cultura que, anos mais tarde, iria conquistar a sociedade como um todo. Começou no Sorriso do Norte, escola na qual permaneceu até, mais ou menos, 1970, enquanto durou a entidade concorrendo com outras escolas muito mais poderosas.

É um dos fundadores do Bloco Unidos de Nova Brasília, participou da chamada belle epóque do carnaval dos blocos de escudo, desfilando no famoso Felisminda Minha Nega, cuja fundação se deu na R ua Dr. Ultra, quase defronte a atual sede do Bloco Os |Psicodêlicos, ao lado de Aurino Tavares e de Salvador Brinquinho, um dos maiores balisas da história da categoria.

Rubens, no Bloco Os Psicodélicos, em 1981, assinou o samba enredo numa parceria com o cronista Nicolau Louzada, ganhando uma “guerra” entre os melhores compositores do Morrinho.

Participou da II Guerra Mundial e se orgulhava da farda verde oliva que envergava nos desdiles civicos participando no pelotão dos ex-combantes da Força Expédicionária Brasileira. Seu último desfile, tanto no campo do civismo como no da ludicidade aconteceu em 2002. Vítima pertinaz enfermidade, veio a falecer no dia 08 de agosto de 2004, dois dias depois das festas em homenagem ao Santíssimo.

Rubens deixa um exemplo de pai de família, de cidadão política preocupado com sua etnia e compositor inspirado que, como Neguinho da Esperança, tinha um samba sincopado inspirado nos batuques memoráveis das jongadas.

É reconhecendo o seu valor, enquanto cidadão e artista, que este ano, na inauguração do CEPOP, a avenida leva o seu nome neste Campos Folia 2012.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Bois participam de Batalha e fazem a festa na Treze de Maio

Boi Arrastão, fez jus ao nome e carregou o público no desfile

Em mais uma noite de folia em Campos, os Bois Zangado, Arrastão, Jeitoso, da Raça, Brasil, Beira-Rio, Guloso, Zulu e Jaguar, participaram da Batalha de Confetes Ouro Azul, na Rua 13 de Maio. A festa que teve início às 23 horas, só terminou quando os primeiros raios de sol, iluminavam a planície goitacá.
Enquanto alguns bois se esmeravam em trazer alegorias, e outras figuras do folclore nacional, como o Boi Jaraguá, o Boi Arrastão, fez um verdadeiro arrastão, carregando todo o público que assistia o desfile a sambar e brincar carnaval.
História – De acordo com Lélio França, coordenador há 10 anos da Batalha de Confetes Ouro Azul, “a batalha possui 41 anos, e é uma tradição das festas pré-carnavalescas de Campos”. A sua história está intimamente ligada com a tradicional festa executada pelo Bloco Os Caveiras, cujos membros eram associados do Automóvel Clube Fluminense. Com a morte de Lord Broa, ele, Lélio tomou frente e não deixou a tradição das Batalhas morrer.

Enfurecido, Boi Zangado deu muito trabalho à Pai João, Mãe Maria e ao público

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Ururaí festejou carnaval com muito samba

Banda Show animou o carnaval dos moradores de Ururaí

Ao som dos Atuais Banda Show, os foliões carnavalescos de Ururaí sambaram na noite desta última sexta-feira ao som de muitas marchinhas, samba e músicas carnavalescas.
O carnaval em Ururaí faz parte da programação de carnaval que a Prefeitura de Campos e a Secretaria Municipal de Cultura, organizou para alegrar a população campista que gosta e curte os quatro dias de folia do Rei Momo.
PROGRAMAÇÃO – Para este sábado de carnaval, estão programados: Ninil do Brasil, às 13h no Lagamar, Farol de São Tomé; Banda Prakatun, às 17h em Conselheiro Josino; Marchinhas de Carnaval com Jerson Jones, às 19h no Hotel Garoupas, Farol. Ás 20 horas haverá apresentação do Grupo Dibobeira, em Xexé, no Farol, Bando do Russo, em Ururaí, e Marcelo Solas, no Clube da Terceira Idade, no Farol. Às 22 horas, haverá apresentação de Gil Paixão, em Travessão; da Banda Tudublue, em Lagoa de Cima; Serginho Pagodinho, na Baleeira; Atração Popular, na Comunidade da Tira-Gosto; Banda Sedução, em Santo Eduardo; Banda Fuzueira, em Santa Maria; Banda Só Aventura, em Ururaí; Grupo Só Marrento, em Dores de Macabu; Eliane Rodrigues, em Rio Preto; Lene Moraes, em Goitacazes; Upam, em Morro do Côco; a Batalha de Confetes Ouro Azul, na rua 13 de Maio,  e a Banda Olodum, às 23 horas na Aldeia do Sol, no Farol de São Tomé.

Boi Capeta comemora 42 anos e arrasta multidões pelas ruas da cidade

Boi Capeta, como sempre arrasta foliões
pelas ruas de Campos à meia-noite.
Muitos foliões que gostam do carnaval, prestigiaram o desfile de um dos Bois mais tradicionais de Campos, o Boi Capeta, que sempre abre os festejos de Momo em Campos. Inúmeros foliões concentraram-se em frente ao Estádio Ary de Oliveira e Sousa e ao Bar Mitinga´s, para participar pela 42ª vez da saída do Boi pelas ruas centrais da cidade. O desfile teve início por volta das 23h quando aquele trecho da Rua dos Goitacazes quase não comportava mais foliões.
Por tradição, o Boi Capeta desfila pelas ruas da cidade mas em sentido inverso ao dos veículos, e assim foi na Rua dos Goitacazes, Tenente-Coronel Cardoso e Treze de Maio, até chegar ao Largo da Imprensa, onde os foliões eram aguardados para um baile público de carnaval. O retorno do Boi Capeta ocorreu por volta das 3h30m com a Banda Black Show animando os últimos foliões na Rua dos Goitacazes.
Sempre preocupado com a repercussão da saída do Boi Capeta, Roberto Fernandes da Silva, o Beto Baixinho, agradeceu a prefeita Rosinha Garotinho através dos Secretários Orávio de Campos Soares (Cultura), e Geraldo Pudim (Governo), pelo apoio que obteve da municipalidade. “Veja você, a nossa festa é bem simples, não custa muito, mas faz a alegria de muitos campistas que não puderam viajar e gostam de brincar o carnaval com o Boi Capeta”, declarou Roberto.
Presença marcante na festa do Boi Capeta foi a do ex-Rei Momo 2010/2011 Talvane; do torcedor do Goytacaz, Coliseu; da Musa do Boi Capeta, Marimar; do Destaque do Boi, Jaqueline Five; da ex-Musa Gay Sara; e de Flávio Azulão, da Banda Carmen Miranda; além de outros diretores e personalidades ligadas ao carnaval e ao clube alvi-anil que prestigiaram a brincadeira.
HISTÓRIA – O boi inicialmente nasceu de uma brincadeira de jogadores do Goytacaz, e com o tempo, o Boi acabou recebendo o reforço de jogadores dos outros clubes campistas, como o Americano, Rio Branco, Campos, Cambaíba, Sapucaia entre outros. Além dos torcedores do clube alvi-anil que viram nele uma boa oportunidade de brincar o carnaval. Com o tempo, o Boi Capeta foi recebendo também reforço de outras tribos, que abrilhantaram a festa e o desfile do Boi.
Neste sábado as festas pré-carnavalescas serão encerradas com a realização da famosa batalha de confete OURO Azul, na rua 13 de maio, no trecho entre Siqueira Campos e Tenente Coronel Cardoso.
Amanhã, domingo, terão início as festas carnavalescas nos distritos de Farol, Goytaczes, Tócos, Ururaí, Travessão, Rio Preto, Lagoa de Cima, Conselheiro Josino, Morro do Côco, Ribeiro do Amaro, Santa Maria e Santo Eduardo, além de shows nas comunidades da Tira-Gosto e Baleeira.